skip to Main Content
Entre em contato: +55 11 95133-2600
Como Jornalistas Podem Tornar Seu Tempo Nas Redes Sociais Mais Produtivo

Como jornalistas podem tornar seu tempo nas redes sociais mais produtivo

Nos últimos 12 anos que trabalhei nas redações, parece que mais mudou nos últimos três do que nos primeiros nove anos.

Com o surgimento de novas tecnologias e plataformas de distribuição, mais salas de redação convergiram e se tornaram organizações multimídia, misturando a web e o celular com a impressão e a TV.

Claro, algumas podem ter inicialmente ridicularizado essas novas tecnologias (converse com alguns jornalistas veteranos de jornais e eles ainda acham que o noticiário da TV está recebendo a punição que merece). Portanto, é animador ver como o Twitter e o Facebook (e para os jornalistas mais jovens, Instagram e Snapchat) são agora amplamente aceitos como ferramentas de contar histórias.

Isso não significa que há uma ampla compreensão de como usar melhor essas ferramentas. Por exemplo, pegue um jornal regular ou um canal de TV na Índia (o país onde eu trabalho como um bolsista Google do ICFJ). Normalmente, seus sites publicam mais de 400 artigos novos por dia, provenientes de seus próprios jornalistas ou agências. Se escalarmos isso para um diário de língua nacional, o número de artigos enviados para a editoria nacional é provavelmente 5.000 por dia. Imagine colocar tudo isso em um jornal!

7910370882_e2d8bfd3b4_o

Dada a quantidade de conteúdo que as organizações de mídia estão publicando, como é que um editor de mídia social deveria decidir quais artigos valem a pena promover? Quais devem ser tuitados e compartilhados várias vezes?

Num dia normal, cerca de 80 por cento do tráfego de um site de notícias provavelmente virá de 20 por cento de seus artigos, com base no que vi no meu trabalho. Então, como redações e jornalistas podem aproveitar ao máximo a sua presença na mídia social? Aqui estão algumas dicas:

1. Faça experiências. Mesmo algo tão simples como mudar uma manchete ou uma imagem no Facebook ou inserir textos de descrição diferentes em seus tuites pode solicitar uma reação maior do seu público. Esses pequenos ajustes podem determinar se seu artigo receberá uma centena de cliques ou apenas cinco. O CoSchedule vem com uma ferramenta maravilhosa que permite descobrir quais manchetes podem obter uma reação maior na mídia social.

2. Compartilhe e peça feedback. Há um receio de que a mídia social — e especialmente o Facebook — é só assunto leve e diversão frívola, então publicar passivamente seu conteúdo e ver o que recebe uma reação é o caminho a fazer. Nada poderia estar mais longe da verdade. Organizações e jornalistas obterão mais engajamento se estiverem conversando com seus seguidores em vez de postarem mecanicamente. Para esse fim, posts abertos, pesquisas e vídeos ao vivo devem fazer parte de seu arsenal de mídia social. Mantenha os canais abertos para comunicação e prepare-se para ser surpreendido.

3. Analise e analise novamente. A maioria das principais plataformas sociais fornecerá várias análises sobre seu público-alvo que são simples de entender (o Twitter faz para contas individuais, o Facebook faz para páginas). Você encontrará dados sobre quando suas audiências são mais ativas, quais postagens e mídia obtêm mais interação e seus seguidores mais influentes. Monitore cada um deles de perto. Em pouco tempo, você descobrirá o momento certo para postar links para artigos mais opinativos, o vídeo ou foto que irão acompanhar, algumas palavras-chave que parecem atrair mais engajamento e, finalmente, quem você precisará marcar para dar um pouco de impulso orgânico. 

Nada disso é realmente ciência. É tudo tentativa e erro. No entanto, ter uma abordagem mais matizada para as mídias sociais — uma que está buscando um resultado mais específico do que simplesmente publicar todos os seus artigos em cada plataforma — levará a um melhor engajamento e fará o tempo que os jornalistas gastam nas redes sociais mais rendoso e produtivo.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Jason Howie

Fonte: IJNet

Por: Irshad Daftari

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *