skip to Main Content
Entre em contato: +55 11 95133-2600

Argentina: Entre desgostar e não conseguir abandonar

Dos 15 aos 23 anos a paulista, e fundadora do blog “Buenos Aires para Chicas”, apaixonou-se pela cidade, deixando para trás as dificuldades de uma adolescente que não queria se mudar para outro país, para não mais se ver capaz de ir embora

Créditos: Buenos Aires para Chicas

Créditos: Buenos Aires para Chicas

Confira a matéria produzida por nossa correspondente Gabriela Rodriguez durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras em Buenos Aires

Há oito anos Amanda Mormito trocava o samba pelo tango. A paulista estava em um aniversário de uma amiga quando seu pai lhe contou que havia sido transferido para Buenos Aires, e em pouco tempo deixariam o Brasil. Como se não bastasse a agitação dos hormônios na fase da adolescência, Amanda teve sua vida transformada bruscamente aos 15 anos de idade.

Amanda Mormito / Créditos: Gabriela Rodriguez

Amanda Mormito / Créditos: Gabriela Rodriguez

Sem saber falar o idioma, a brasileira, além de lidar com todo o sofrimento e tristeza de deixar a vida paulista para trás, não teve tempo para estudar o idioma e o aprendeu sozinha “na raça”. O que Amanda não poderia imaginar é que a angústia da mudança de país seria convertida em paixão pela cidade de Buenos Aires. Aos 22 anos, a paulista deu a luz ao blog “Buenos Aires para Chicas”. A página, criada em março de 2012, concentra informações de gastronomia, turismo e compras, bem como é um espaço para Amanda dividir suas experiências pessoais e relações desastrosas. Amanda diz que “o blog não é restrito ao conteúdo de viagem: É quase como uma página de lifestyle.”.

Amanda diz que os primeiros textos do blog foram escritos em uma linguagem mais formal, mais “certinha”, pois não tinha muita experiência, bem como era insegura e temia a opinião de suas leitoras. Com o passar do tempo, e com o amadurecimento de seu estilo, a blogger passou a escrever de modo mais leve e informal, quase como se estivesse conversando com uma amiga. “É muito legal ter o blog como um portfólio também. Ao ler as primeiras postagens e as atuais, posso ver minha evolução.”, completa.

O primeiro contato da jovem com o mundo jornalístico foi um blog feito por ela e seu ex-namorado. O site abordava bares em geral, tal como seus principais drinks e bebidas alcoólicas. “Era muito contraditório pra mim escrever sobre os bares quando eu nem bebia. Acabei desistindo do blog e do namorado (risos).”, comenta. Após concluir o 1º grau, Amanda pensava no Jornalismo como profissão. No entanto, preferiu cursar Relações Internacionais, uma vez que seu pai, formado em Matemática, não a incentivava a seguir na área de Comunicação Social. “Eu era muito carente da aprovação do meu pai, acabei seguindo outra carreira por isso.”, diz a blogger, que atualmente trabalha na IBM, mencionando seus planos de ainda formar-se jornalista.

Diferentemente de seu pai, a mãe de Amanda, vibrou quando soube que sua filha criaria um espaço na internet com dicas de Buenos Aires. Por ser conhecido pelo conteúdo, como a criadora mesmo diz, mais “mulherzinha”, sua mãe se empolgara para compartilhar o blog com as amigas.

Com aproximadamente 25 mil visualizações únicas por mês, o Buenos Aires para Chicas é mantido por Amanda Mormito sem a ajuda de colaboradores. Os únicos investimentos financeiros feitos pela blogger foram com vídeos e diagramação do site. “O blog é muito eu, e é conhecido pelo seu conteúdo, o que é muito difícil atualmente.”, diz ao mencionar a futura necessidade de alguém para ajuda-la a manter a página. Toda a publicidade presente no blog foi um espaço oferecido para amigos de empresas relacionadas ao tema do blog. Ainda que o projeto despretensioso, com 1 ano e meio de vida, tenha se tornado um trabalho pela responsabilidade social que apresenta, a jovem não tem nenhum grande patrocínio que a permitiria ter estabilidade financeira.

Crédito: Buenos Aires para Chicas

Crédito: Buenos Aires para Chicas

Uma das principais fontes de renda do blog está na venda de guias de viagem online. Em parceria com uma amiga brasileira, Amanda vende guias personalizados, dos quais os preços variam de 10 a 12 reais. Já um dos fatores mais relevantes para o crescimento do “Buenos Aires para Chicas” está associado à proximidade que a blogger tem de suas leitoras. “É muito difícil você ver algum comentário sem resposta no site. Enquanto eu puder, vou continuar fazendo isso.”, comenta Amanda, que acha que dar um feedback a suas seguidoras é algo de extrema importância, e que se for necessário, contrataria uma pessoa apenas para ajuda-la a responder os comentários que recebe na página.

Além de estar sempre em contato com suas leitoras, Amanda diz que as redes sociais tiveram uma enorme responsabilidade para o sucesso de seu projeto. A difusão do projeto por meio de compartilhamentos e likes deu visibilidade para que mais pessoas tivessem acesso ao blog. Atualmente, o Buenos Aires para Chicas é lido por mulheres, em sua maioria de 25 a 31 anos, das quais 70% são brasileiras, 20% argentinas e o restante de países europeus e latino-americanos. Com mais de 20% de leitoras hispanas, Amanda criou outra página escrita em castelhano para melhor atende-las. Contudo, essa página está on hold, uma vez que ainda não encontrou ninguém para ajuda-la a subir as matérias. Ainda que a maior parte de quem leia o blog seja do sexo feminino, Amanda esclarece em sua página que os Chicos também são bienvenidos a lê-la.

Além de seu trabalho, no setor de recursos humanos, na IBM, e de sua responsabilidade com o Buenos Aires para Chicas, Amanda é colaboradora de mais três projetos de Comunicação Social. Dentre eles está o site brasileiro “Destemperados”, no qual a paulista escreve duas matérias por mês sobre diferentes restaurantes portenhos. A blogger também colabora para a revista online Jenjibre, que é projeto de duas Argentinas. A revista tem somente quatro edições por ano, sendo uma em cada estação. Além disso, Amanda também é a correspondente de Buenos Aires para o site “Bar Chick”. A página com dicas de bares foi criada em Londres e é feita, necessariamente, por mulheres – Chick em inglês têm o significado de “menina” – das principais capitais do mundo. Com uma porção de Jobs, a brasileira diz que o blog é o que lhe consome mais tempo, tendo em vista que este apresenta uma postagem por dia.

Em abril deste ano, Amanda participou do programa “O mundo segundo os brasileiros”, televisionado pela Rede Bandeirantes. O tema do episódio era a vida de brasileiros que moravam em Buenos Aires. Ainda que não tenha apresentado ao programa seu blog, sua parição na televisão lhe possibilitou ter maior visibilidade, isto é, na edição mencionaram abaixo de seu nome seu cargo de “blogger”.  “Eu vejo que as pessoas buscam: ‘Amanda o mundo segundo os brasileiros blog’, no google, o que acaba levando todo mundo para o endereço do meu blog”, relata.

Quem pensa que a vida de blogger e participante de programa de TV é receber somente elogios engana-se. Amanda diz que é alvo de críticas, e certa vez, ao citar “as 5 coisas das quais não se acostumaria na Argentina” em seu blog, foi julgada pelas leitoras de Buenos Aires: “Escreveram que eu tinha que voltar para o Brasil e que eu não merecia morar na Argentina.”. A brasileira disse que no começo, por ingenuidade, pensava em desistir do blog, mas com o tempo passou a dar menos relevância a esses tipos de críticas não construtivas.

4-1

Depois de oito anos em Buenos Aires, a paulista já é quase uma Argentina e só pensa em voltar a morar no Brasil por conta de seus pais, que há um ano e meio deixaram a cidade portenha. Contudo, o retorno da blogger implicaria no fim de sua colaboração na página Buenos Aires Para Chicas. “O blog me dá uma alegria diária muito gostosa, e eu sei que se eu voltar pra São Paulo, isso tudo vai acabar.”, desabafa. Ainda que, por hora, a jovem queira dar continuidade ao site, ela diz saber que este não é infinito. Amanda já tem em mente outros projetos, e diz que é possível que o blog sobreviva nas mãos de outra pessoa futuramente. “Eu não sei o que pode acontecer.”, comenta.

Amanda que acreditava, equivocadamente, no dia em que suas matérias e dicas se esgotariam, diz que a todo tempo é surpreendida com bares, lojas, restaurantes, experiências pessoais e tudo aquilo que vivencia em sua rotina portenha. Sem saber o que esperar, a blogger sempre leva sua câmera fotográfica aos novos lugares que vai, de modo que se estes se encaixarem ao perfil do site, ela já está preparada para criar uma nova matéria.

A aspirante à jornalista afirma que se depender da cidade, o blog não terá um fim: “Buenos Aires me dá o que escrever todos os dias.”. Após quase uma década, Amanda diz não mais se imaginar vivendo em outro lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *