skip to Main Content
Entre em contato: +55 11 95133-2600
Um Novo Dia, Um Novo Aprendizado, Uma Nova Pauta E O Mesmo Sonho

Um Novo Dia, Um Novo Aprendizado, Uma Nova Pauta e o Mesmo Sonho

MATHEUS CASTRO, DE BUENOS AIRES

Caros fiéis e novíssimos leitores.

O tempo é precioso. Hoje, mais do que nunca, percebi a importância dessa frase. No meu segundo dia na Argentina, minha participação no Jornalismo Sem Fronteiras foi inesquecível. O despertador tocou e meus olhos cansados se abriram, juntamente com um sorriso gigantesco. Apesar de ter dormido menos de 6 horas, de novo, minha animação era visível. No café-da-manhã, o assunto da pauta foi rapidamente retomado. Cada segundo era precioso, e nossa colaboradora local, Sofia, ajudava com muitas ideias e principalmente com contatos. Ela nos forneceu, nada mais nada menos, que 5 fontes. Entretanto, conversamos muito sobre as entrevistas e acabamos perdendo o começo da reunião com a correspondente da Folha de São Paulo, Mariana Carneiro.

Quando finalmente cheguei ao debate, ela estava respondendo a algumas perguntas, como se fosse uma coletiva de imprensa. Fiquei animado, quando o assunto em discussão era os conhecimentos essenciais de um correspondente internacional  sendo que um deles é sobre economia. Me interesso muito por esse tema e fiz uma pergunta se ela achava que era necessário um curso ou formação específica. Um fora, ela havia dito sobre isso no começo do encontro e eu não estava presente. Um mico que serviu de lição. Após o término da reunião, fui conversar com a diretora do programa, a querida Claudia Rossi (Não estou puxando o saco nem nada, mas gosto realmente dela) sobre como proceder na mesma situação na vida real. Ela foi brilhante, com um exemplo prático, me ensinou algo que eu não aprenderei na faculdade. Me coloquei na situação de um jornalista que chegou atrasado para uma coletiva de imprensa verdadeira. Geralmente, os entrevistados não tem muito tempo então se alguém repete uma pergunta ou faz uma desnecessária fica mal visto e é criticado pelos presentes na reunião. A Claudia me contou o que eu posso fazer: Primeiro, perguntar aos colegas se o entrevistado abordou o assunto. Caso, não consiga resposta, devo avaliar se a resposta vale o risco da incômoda situação. Mesmo antes do meio-dia, o programa cumpria seu propósito, ensinar e nos colocar em ação para aprender na prática!

m

Almoçamos, e depois fizemos um tour nos principais pontos culturais da cidade de Buenos Aires. O Obelisco, a Casa Rosada e outros lugares fantásticos. Quando voltamos ao hotel, uma notícia maravilhosa que me deixou com os olhos brilhando, como de um garotinho no natal apesar dos meus 1,85 metros. A Claudia, a própria e depois dessa mais querida ainda, me colocou em mais uma pauta mas não é uma qualquer. Conhece a matéria dos sonhos de muitos garotos, incluindo esse que vos lê? Sim, minha querida pautera me designou o assunto mais comentado no ambiente futebolístico de hoje: O desabafo de Messi e uma possível saída da seleção argentina. Se eu fiquei empolgado? Não conseguia ficar parado, li uns 10 textos sobre o assunto, incluindo o brilhante artigo de opinião do Clóvis Rossi, e comecei a planejar a matéria. Foi por enquanto o momento em que eu me senti mais animado desde que eu comecei a estudar jornalismo. Tive que me acalmar um pouco para ouvir a doce Patricia Vasconcellos, correspondente do SBT. Com o bate papo mais leve até então, fez eu sonhar ainda mais com o futuro dessa profissão que me encanta tanto!

Depois de escrever bastante e tentar adiantar ao máximo minhas duas primeiras pautas, meus objetivos de hoje foram superados e minhas expectativas excedidas. São 3 da manhã e vou descansar feliz mas com uma ansiedade imensa para esses meus próximos dias em território “hermano”. Espero vocês de volta e garanto que vou escrever ainda muito sobre ˜El Pulga”, o Messi.

 

Abraços, do seu amigo jornalista muito animado que vive um momento de que se lembrará para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *