TICIANA FERNANDES, DE MADRI

No final da tarde da última terça-feira (17), os participantes do Jornalismo Sem Fronteiras – Madrid puderam conhecer as instalações da RTVE (Corporação de Rádio e Televisão Espanhola), conglomerado estatal de mídia com uma das maiores audiências do país. Quem nos recebeu foi o jornalista Álvaro Goicoechea – atual subdiretor do setor de Internacional da TV espanhola -, que compartilhou algumas de suas experiências como correspondente internacional em Bruxelas, capital da Bélgica, onde trabalhou durante 7 anos.

20170117_174125

Para Goicoechea, um correspondente pode ser comparado a um paraquedista: “te lançam e você não sabe onde vai parar”. Isso porque ele não escolheu ir para Bruxelas e pouco sabia sobre as nuances do país antes de ser enviado para lá. Assim, o jornalista ressalta a importância que tem a leitura na formação de um bom profissional: “Não sabemos de nada e é necessário ler muito para tentar entender minimamente as coisas […] Coisas que parecem não ter relevância podem te salvar em uma situação de último minuto”.

Agora que atua do ‘outro lado da mesa’, isto é, gerencia a rede de correspondentes da emissora, Álvaro Goicoechea avalia as características das quais um bom correspondente precisa dispor. Para ele, o jornalista que vai trabalhar na área precisa ser muito apaixonado pela profissão, pois a carreira internacional tende a ser bastante solitária.

Mas nem só de paixão vive um correspondente. Goicoechea destaca que a função requer muita capacidade de trabalho, boa comunicação oral e escrita e uma vasta experiência prévia como repórter. Para ele, a formação e a dedicação certamente são mais importantes que talento. E encerrou, categórico: “Sua trajetória nem sempre depende de você, mas seu trabalho, sim, depende de você”.

Related Posts


Walter Longo: Os desafios da comunicação na era pós-digital

Presidente do Grupo Abril, Walter Longo fala sobre as mudanças que o mundo digital trouxe e defende a mídia tradicional A migração das mídias para o mundo digital se dá por mecanismo de adição e não por substituição. É a partir deste conceito que o executivo Walter Longo estrutura seu raciocínio para tratar da comunicação […]

22.06.2017

Los proyectos periodísticos tienen que contemplar todas las áreas

“Hay que despertar el espíritu emprendedor en los jóvenes periodistas. No se trata tanto de formación técnica sobre cómo montar un negocio (que es muy importante), como de despertar la inquietud en el periodista por la innovación, por hacer las cosas de forma diferentes a como siempre se han hecho o a cómo se le ha […]

22.06.2017

Así se hace un buen vídeo: diez consejos de una reportera del ‘New York Times’

Alexandra García durante una de las charlas del congreso de periodismo digital de Huesca./Foto ÁLVARO CALVO Alexandra García trabaja en el departamento de vídeo del ‘New York Times’ desde 2013. La ficharon después de nueve años en el ‘Washington Post’ y otro becada de la Fundación Nieman en la Universidad de Harvard. Alexandra nació en Colombia, pero […]

19.06.2017

Comments


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *