skip to Main Content
Entre em contato: +55 11 95133-2600
Em Buenos Aires, Maia Diz Que DEM Será O último A Desembarcar Do Governo Temer

Em Buenos Aires, Maia diz que DEM será o último a desembarcar do governo Temer

Maia nega parentesco com Moreira Franco: “O ministro não é meu sogro. Ele é casado com a minha sogra”

FÁBIO BISPO, GABRIEL BOSA E HELENA CENEVIVA

DE BUENOS AIRES

Em seu segundo dia de agenda política em Buenos Aires, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), declarou lealdade ao presidente Michel Temer (PMDB) e rechaçou qualquer possibilidade de manobras para impedir que o processo contra o presidente seja debatido em plenário. “Meu partido e eu somos aliados do presidente Michel Temer, apesar de toda a crise, eu disse ao presidente do meu partido no primeiro dia da crise que se acontecesse alguma coisa o DEM deveria ser o último a desembarcar do governo”, pontuou.

O presidente integrou a mesa central do primeiro Fórum de Relações Internacionais e Diplomacia Parlamentar, ao lado de outros líderes do Legislativo de países da América Latina. Ao fim do encontro, Maia rebateu de que já haveria articulação entre o DEM e o PSDB para sucessão de Temer. “É especulação: quando se vive uma crise tão profunda como essa, cabe especulações de todo tipo. Tem algumas que li pela manhã que são muito criativas, mas com pouca informação. Uma delas é de que eu estaria usando a Súmula 13 do Supremo [que proíbe o nepotismo] para manter o ministro Moreira Franco. O ministro não é meu sogro. Ele é casado com a minha sogra”, declarou.

Maia se reuniu com lideranças políticas no país vizinho. Crédito: Fábio Bispo

Acompanhado dos deputados Benito Gama (PTB-BA), Heráclito Fortes (PSB-PI), Rubens Bueno (PPS-SP), Rogério Rosso (PSD-DF) e Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), este último que já declarou voto a favor da abertura do processo contra temer, Maia negou que a viagem seria pretexto para frear as negociações em curso na Câmara dos Deputados. Para o Governo, é importante que o processo se encerre antes do recesso parlamentar, que se inicia no dia 18 de julho.

“Esse evento já estava marcado há 30 dias e não tem nada a ver uma coisa com a outra. Não é só o poder Executivo que deve manter relações diplomáticas”, defendeu.

O presidente da Câmara dos Deputados evitou falar da tramitação da denúncia contra Temer, garantindo que num possível acirramento da crise com o afastamento do presidente o DEM seria o último a desembarcar da base: “Eu sou presidente da câmara. Meu partido e eu somos aliados do presidente Michel Temer, apesar de toda a crise, e eu disse ao presidente do meu partido no primeiro dia da crise que se acontecesse alguma coisa o DEM deveria ser o último a desembarcar do governo”, afirmou.

Ainda na tarde de sexta-feira (07), Maia se reunirá com lideranças políticas argentinas. A agenda oficial de compromissos do presidente da Câmara será encerrada na noite de hoje (sexta, 7), com um jantar oferecido pelo Embaixador do Brasil em Buenos Aires. Maia retorna a Brasília na tarde de sábado (8).

FÁBIO BISPO, GABRIEL BOSA E HELENA CENEVIVA são jornalistas e participam do “Jornalismo sem Fronteiras”, que leva jornalistas e estudantes de comunicação e áreas correlatas a Buenos Aires para um mergulho de 10 dias no trabalho de correspondente internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *