skip to Main Content
Entre em contato: +55 11 95133-2600

Experiencias sin frontera

  • 19 de julho de 2012

Buenos Aires é uma cidade de cores. De árvores secas, de céu limpo e de simpatia. Cada pedacinho de todo o plano constitui uma pincelada diferente e a tela é essa terra florida, onde perguntar a distância da Recoleta a San Telmo ou pedir um pão de miga com queso no restaurante da esquina derrete qualquer receio de brasileiro acostumado com descaso, mau atendimento e fingi-que-nem-ouvi.

Confira o texto produzido por nossa correspondente Gabriela Soutello durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras, em Buenos Aires.

Locais com decoração peronista são destaque em Buenos Aires

  • 18 de julho de 2012

Em diferentes partes da cidade, Perón e Evita continuam sendo lembrados e homenageados mesmo após décadas de suas mortes

Confira a  matéria produzida por nosso correspondente Fábio de Nittis durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras, em Buenos Aires.

Faltam mais vedetes

  • 18 de julho de 2012

Cinéfilos argentinos comentam a produção nacional

Nos festivais de todo o mundo, o cinema argentino se destaca em relação aos concorrentes sul-americanos.  Enquanto o Brasil nunca levou um Oscar, a Argentina tem entre suas produções grandes ganhadores, como A História Oficial, de Luis Puenzo, e O Segredo de seus olhos, de Juan José Campanella, por exemplo. Como a jornalista, Cynara Menezes, da Carta Capital, bem colocou em seu texto, Os viralatas de celulóide, os brasileiros invejam o cinema dos hermanos  – “sentimos vergonha, rimos de nós mesmos”, declarou. No Brasil, cinema argentino é sinônimo de qualidade, boas histórias e, sobretudo, de obra intelectual. Quais seriam as razões do sucesso do cinema argentino? E como os portenhos se relacionam com a produção nacional?

 

Confira a  matéria produzida por nosso correspondentes Gabriel Fabri durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras, em Buenos Aires.

Adeus, Glamour

  • 18 de julho de 2012

Um dos filmes menos recordados do mestre do cinema, Alfred Hitchcock, descreve a aventura de um jornalista enviado dos EUA à Europa, personagem que, ao cobrir um assassinato, se vê envolvido em uma conspiração de grandes proporções. O longa de 1940, Correspondente Estrangeiro, indicado ao Oscar de melhor filme, com um casal típico hollywoodiano jogava o jornalista numa aventura emocionante. Toda aquela glória em torno da personagem interpretada por Joel McCrea fica, na atualidade, fica restrita à ficção e a alguns poucos sortudos. Ariel Palacios, correspondente do Estadão em Buenos Aires, Argentina , é enfático ao afirmar: “O glamour do correspondente acabou”.

Confira a  matéria produzida por nosso correspondente Gabriel Fabri durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras, em Buenos Aires.

Palácio San Martin

  • 17 de julho de 2012

O Palácio de San Matín se divide entre um ponto turístico e cultural no centro de Buenos Aires. Ele foi construído rapidamente com o intuito de hospedar a princesa Isabel de Borbón durante sua visita à Argentina. A visita não se concretizou e o Palácio foi posteriormente usado para encontros sociais como o Baile de Centenário da Independência, em 1916.

Confira matéria produzida por nossa correspondente Giovanna Mazzeo Sacco durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras em Buenos Aires.

Entrando no caldeirão

  • 16 de julho de 2012

Club Atlético Boca Juniors expõe sua mística através do “Museo de La Pasión Boquense” e visita guiada pelas instalações de La Bombonera, atraindo cerca de 400 visitantes por dia, 70% deles provenientes do Brasil.

Confira a  matéria produzida por nossos correspondentes André Lima e Caio Prestes durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras, em Buenos Aires.

Sábado, 1° de abril de 1905, Praça Solís, bairro de La Boca. Santiago Sana, Esteban Baglietto, Alfredo Scarpatti e os irmãos Juan e Teodoro Farenga conversavam sobre a criação de um clube de futebol. No dia seguinte os cinco amigos, descendentes de italianos, se reuniram novamente, agora na casa de Baglietto, enquanto sua mãe tomava chá com amigas. A discussão foi ficando demasiada acalorada, até que a monarca pediu gentilmente para que os rapazes se retirassem transferindo à reunião novamente para a Praça Solís.

Relato de um Correspondente

  • 16 de julho de 2012

Alejandro Rebossio falou sobre sua carreira e deu dicas fundamentais para estudantes brasileiros de jornalismo que pretendem seguir carreira internacional.

Político ou jornalista. Essas eram as duas opções que Alejandro Rebossio desejava, quando criança, seguir como profissão. A ideia de viver de política foi deixada de lado ao perceber as tramas  em que poderia se meter ao entrar nesse mundo. Com 17 anos, ingressou na faculdade e nem sonhava que um dia seria correspondente do jornal mais importante em idioma espanhol no âmbito internacional.

Confira matéria produzida por nosso correspondente Caio Prestes durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras em Buenos Aires.

Diário Sem Fronteiras – Parte II

  • 15 de julho de 2012

Buenos Aires, 11 de julio de 2012 (quarta)

Antes das nove da manhã já estávamos reunidos para a segunda palestra da viagem. Dessa vez, contamos com Alfredo Fierro, para falar sobre a Argentina de hoje. Assuntos como a economia argentina e sua posição em relação à América Latina e ao mundo.


Diário Sem Fronteiras – Parte I

  • 13 de julho de 2012

Buenos Aires, 10 de julio de 2012

Por trás de um sorriso quanta coisa não tem?

Depois de tanta espera, finalmente chegou o dia! Descer no Aeroporto de Ezeiza e ver a alegria apesar do cansaço do grupo é simplesmente impagável. Devia ser o frio, o cheiro ou simplesmente a simpatia das pessoas que nos rodeavam, não sei exatamente. De qualquer forma, minha felicidade era incontestável.

 

“Jornalista não escreve com os dedos. Escreve com o cérebro, com o coração”.

  • 4 de julho de 2012

No começo todos estavam tímidos. Poucos ali se conheciam, por isso o silêncio tomava conta da sala nos primeiros minutos. Quando o relógio marcou 14h, começou a reunião sobre a viagem para Buenos Aires. Com seu espírito empolgado e acolhedor, a diretora da Link, Claudia Rossi, estimulou os participantes a se soltarem e então o silêncio teve fim. As perguntas eram variadas e foram respondidas uma a uma.

Confira a  matéria produzida por nossa correspondente Natália Rossi durante o Programa Jornalismo sem Fronteiras.